Do Empreendedorismo ao Ensino da Matemática. Uma Prática (na Economia Informal) de Vendedores do Mercado 5 de Abril do Namibe-Angola

Autores

DOI:

https://doi.org/10.54580/R0502.03

Palavras-chave:

Empreendedorismo, Etnomatemática, Educação Matemática, Vendedores

Resumo

O presente artigo tem como objectivo identificar práticas Etno/matemáticas notáveis nas actividades comerciais no seio de vendedores/empreendedores do mercado em referência. Preocupa-nos em saber de que forma estas práticas, notáveis na economia informal, podem influenciar no ensino da Matemática na sala de aula, tendo por base as teorias da Educação Matemática e da Etnomatemática. Para fazer face ao objectivo proposto e tendo em conta a natureza do tema, a pesquisa desenvolveu-se usando a metodologia qualitativa, onde as informações foram obtidas através de observações directas e aplicação de entrevistas semi-estruturadas a seis vendedores informais, com maior consistência e detalhes de três vendedores. Após a obtenção de informações, foi feita uma análise reforçada de relatos, averiguando o conhecimento de uma Matemática informal e implícita, cujas práticas conduzem-nos a conhecimentos Etno/matemáticos. Foi também utilizado a pesquisa bibliográfica usando autores de reconhecimento científico como D`Ambrosio (2013), Lúcio (2019), Saraiva (2011), Gerdes (2007) entre outros. Em suma os vendedores informais usam uma Etno/matemática que desenvolveram a partir da transmissão de valores vindos de geração em geração, pelos mais velhos, mas que permitem desenvolver as quatro operações fundamentais da Matemática (Adição, Subtração, Multiplicação e Divisão), medidas de peso e comprimento. Identificando os saberes fazer comerciais, e tendo em conta a Matemática praticada pelos vendedores e a Matemática escolar, elaboramos propostas pedagógicas para o ensino da Matemática na sala de aula, para os alunos do Ensino Primário e I ciclo do Ensino Secundário. As sugestões apresentadas servirão de apoio/reforço aos investigadores e professores, uma vez que o tema em estudo é aberto.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Referências

Alencar, A. C.; Oliveira, F. L. S.; Pereira, M. R. B. (2011). Etnomatemática na feira: estimando o lucro com unidades de medidas. Anais da XIII Conferência Internacional de Educação Matemática. Recife.

Almeida & Shirley P. N.(2017). Práticas Etnomatematica em uma feira livre. Educação Matemática em Revista, Brasilia, v. 22, n. 54.

Bello, S. E. L(2000). Etnomatemática: Reflexão e Tensões entre as Distintas Formas de Explicar e Conhecer. Tese (Doutorado) –Universidade Estadual de Campinas, Campinas –SP.

Bogdan, R. & Biklen, S. (1994). Investigação Qualitativa em Educação. Uma introdução à Teoria e aos métodos. Coleção Ciências da Educação. Porto: Porto Editora.

Bonfim, V. S. (2000). Escola, aluno, saberes: Subsídios para repensar o currículo a partir da etnomatemática. CBEm 1. São Paulo, Brasil.

D´Ambrosio U. (2013). Etnomatemática: Elo entre as tradições e a modernidade. 5 ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora.

D´Ambrosio, U. (1984). O ensino de ciências e matemática na América Latina. Campinas: Papirus(Coord).

D’Ambrosio U. (2008). O Programa Etnomatemática: Uma síntese. In Acta Scientae: revista do Centro de Ciências Naturais e Exatas/ Universidade Luterana do Brasil, v. 10, n. 1.

D’Ambrósio, U(1990). Etnomatemática –arte ou técnica de explicar e conhecer. São Paulo: Editora Ática.

D'Ambrosio, U. (2005). Etnomatemática: Elo entre as tradições e a modernidade. Belo Horizonte: Autêntica. P.182.

Dias, D. (2016). Estudo etnomatemático sobre o grupo étnico Nyaneka-nkhumbi do Sudoeste de Angola. Aplicações à Educação Matemática. (Tese de doutoramento). Universidade do Minho, Instituto de Educação. Disponível em https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/42586/1/Domingos%20Dias.pdf

Fonseca, J. J. S(2002). Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC. Apostila.

Gerdes, P. (2007). Etnomatemática – Reflexões sobre matemática e diversidade cultural. Ribeirão: Edições Húmus.

Hisrich, R. D.; Peters, M. P. (2004). Empreendedorismo. Porto Alegre: Bookman.

Lúcio V. F. P.(2017). O Empreendedorismo Jovem-Principais Barreiras. Estudo de Caso dos Jovens do Mercado 5 de Abril, Namibe-Angola (trabalho de licenciatura não publicado).

Lúcio, A. C. (2019). Da Etnomatemática à Matemática. Aplicações dos saberes e saberes fazeres dos povos Mucubais e Himbas do Sul de Angola-Namibe. Tese de Doutoramento. Recuperado de: http://recil.grupolusofona.pt/bitstream/handle/10437/10121/TESE%20%20Alfredo_Lucio.pdf?sequence=1.

Saraiva P. M. (2011). Empreendedorismo do Conceito à Aplicação, da Ideia ao Negócio, da Tecnologia ao Valor (2ª Edição). Coimbra: Imprensa da universidade Coimbra.

Tatiana e Silveiro D. (2009). Métodos de pesquisa. (1ª Edição). Porto Alegre: Editora da UFRGS.

Downloads

Publicado

2024-04-27

Como Citar

Do Empreendedorismo ao Ensino da Matemática. Uma Prática (na Economia Informal) de Vendedores do Mercado 5 de Abril do Namibe-Angola. (2024). Revista Angolana De Ciências , 5(2), e050203. https://doi.org/10.54580/R0502.03

Artigos Similares

Também poderá iniciar uma pesquisa avançada de similaridade para este artigo.