Competências de base em Análise Matemática III na formação do professor de Matemática

Palavras-chave: Competências, competências de base, formação de professor de matemática, estratégia didáctica

Resumo

O desenvolvimento de competências de base em Análise Matemática III na formação do professor de matemática apresenta insuficiências. Isso fez com que se investigasse a problemática exposta. A sistematização realizada permitiu fundamentar o objecto de estudo e o campo de acção. Os resultados dos inquéritos permitiram identificar insuficiências no processo, centradas nos saberes (saber, saber – fazer, saber - ser e actuar) dos conhecimentos da Analise Matemática III. Isso levou a propor uma estratégia didáctica, dirigida ao desenvolvimento de competências de base em Análise Matemática III, a partir de acções do professor, e dos estudantes e o grupo que favorecem o desenvolvimento das seguintes competências de base em Análise Matemática: Competência na resolução de problemas e interpretação de resultados, competência na demonstração de proposições que incluem derivadas e integral de funções de várias variáveis, competência para o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) na representação gráfica de funções de várias variáveis, competência de execução de actividades escolares individual ou em grupo ligadas Análise Matemática III, competência para o uso da comunicação oral e escrita do cálculo infinitesimal em Rn, competência na determinação de condições necessárias, condições suficientes para a solução de problemas ou exercícios, competência do pensamento matemático e sua abstracção. Estas competências estão em correspondência com as exigências da formação harmoniosa e integral da formação do professor de matemática na República de Angola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Arnaiz Rey, A., de Musholovela, J. da S. A., & González Fernández, A. (2019). A virtualização no processo de ensino - aprendizagem das ciências exactas. RAC: Revista Angolana De Ciências, 1(1), 117-135.

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Becerra, A. M. J. (2003). Una estrategia pedagógica para el desarrollo de la competencia para la comunicación interpersonal en el desempeño profesional de los ingenieros. (Tese doutoral, UCPEJV).

Bogdan, R. & Biklen, S. (1994). Investigação Qualitativa em Educação: Uma Introdução à Teoria e aos Métodos. Porto: Porto Editora.

Campbell D.T. & Fiske D. W. (1959). Convergent and discriminant validation by lhe muttibrait-mutimethod matrix. Psichological builletin, LVI.

Cardoso, E. (2006). Programa De Metodologia Do Ensino Da Pedagogia Com Base Nas Competências Profissionais (Dissertação de mestrado, ISCED-Lubango).

Chimbinda P. A. (2015). Una estrategia didáctica desarrolladora para perfeccionar el proceso de enseñanza-aprendizaje de la disciplina Análisis Matemático en la Escuela Superior Pedagógica de Bié en la República de Angola. (Tese doutoral, UCPEJV).

Coutinho, C. P. (2018). Metodologia de investigação em ciências e humanas. Coimbra: Almedina.

Delfino, B. (2017a). Reflexiones acerca del proceso de enseñanza y aprendizaje de la asignatura Análisis Matemático I en la formación del profesor en el Instituto Superior de Ciencias de la Educación de Huambo, República de Angola. Revista IPLAC.

Delfino, B. (2017b). El desarrollo de habilidades matemáticas en los alumnos de 1er año de la formación de profesores de Matemática en el ISCED-Huambo. Una necesidad. Revista IPLAC.

Espinhosa, R. (2012). Análisis Matemático I, Peru: Editorial Escritura Publica.

Jova M. D. (2012). La evaluación de las competencias profesionales en el proceso de enseñanza-aprendizaje en la Carrera de Pedagogía en la Universidad 11 de Noviembre en Cabinda- República de Angola. Revista IPLAC.

Lei de Base do Sistema de Educação e Ensino (2016). Subsistema de Ensino Superior. Ministério da Educação. Assembleia Nacional. República de Angola

Luemba A. J. (2008). Propuesta de un perfil por competencias para los egresados de la Carrera de Pedagogía de los Institutos Superiores de Ciencias de la Educación de la Universidad Agostinho Neto. (Tese doutoral, UCPEJV).

Maxiwell, J. A. (1996). Qualitative research. Design: An interactive approach thousand Oaks, ca: Sage publications.

Niss M. (2011). Competencies and mathematical learning. Ideas and inspiration for the development of matematics teaching and leaming in denmark. Roskilde: Roskilde University Press. Inglish edition.

Roegiers, X. (2007). Formar Professores hoje. Evento Internacional Pedagogía 2015. La Habana, Cuba.

Sampedro Ruiz, R., Espindola Artola, A., Mola Reyes, C., & Sobrado Cardenas, E. (2019). Sistema de acções para garantir a qualidade da comunicação em matemática nos estudantes universitários. RAC: Revista Angolana De Ciências, 1(2), 243 - 254.

Sousa, J. B. M. (2015). La superación profesional en tecnologías de la información y las comunicaciones de los docentes del Instituto Superior de Ciencias de la Educación de Huambo, Angola. [Tesis Doctoral, UCPEJV].

Sousa, J. B. M. (2016a). Computadores no Ensino. 1ra edição. Saarbrucken: Novas Edições Académicas.

Sousa, J. B. M. (2016b). Impacto das tecnologias de informação e comunicação no Instituto Superior de Ciências da Educação do Huambo, Angola. REFCalE, Revista Formación y Calidad Educativa. 4( 3), 72-76

Sousa, J. B. M. (2016c). Orientações metodológicas para a utilização do Geogebra nas aulas de Geometria Descritiva. Revista Magazine de las Ciencias. 1(1), 61-66

Sousa, J. B. M. (2016d). Sistema de ações para favorecer a utilização do software derive nas aulas de Matemática. REFCalE, Revista Formación y Calidad Educativa. 4( 2), 63-70

Tuckman, B. (2000). Manual de Investigação em Educação. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Publicado
2020-05-15
Como Citar
Barroso, H. J. (2020). Competências de base em Análise Matemática III na formação do professor de Matemática. RAC: Revista Angolana De Ciências, 2(1), 78-98. Obtido de http://publicacoes.scientia.co.ao/ojs2/index.php/rac/article/view/54
Secção
Artigos