SERVIÇO PÚBLICO E A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AOS CIDADÃOS NAS INSTITUIÇÕES ANGOLANAS

Palavras-chave: Cidadãos, Serviço Público, Instituições angolanas

Resumo

Este estudo aborda o Serviço Público em Angola, face a necessidade de se aferir a qualidade da prestação de serviços aos cidadãos, medindo o seu grau de satisfação, enquanto destinatários directos dos mesmos, cuja pesquisa foi realizada durante o curso de Mestrado em Governação e Gestão Pública, pela Universidade Agostinho Neto, no ano de 2013. Com o servidor público, utentes satisfeitos e motivados, as metas e directrizes da gestão tendem a ser atingidas com mais facilidade, melhorando a qualidade da prestação dos serviços ao público-alvo (cidadãos) com eficácia e eficiência. O artigo apresenta as noções do serviço público, a problemática do acesso e da prestação dos serviços públicos, comparando aproximativamente os diferentes contextos entre Angola, Brasil e Portugal. Metodologicamente, o trabalho teve uma abordagem qualitativa e quantitativa, com consulta bibliográfica, documental e pesquisa de campo, tendo-se utilizado os métodos demográfico, comparativo e estatístico na análise dos dados. Os resultados da pesquisa reflectem a realidade de duas instituições diferentes, que prestam serviços públicos aos utentes, nomeadamente, Serviço Integrado de Atendimento do Cidadão (SIAC) e o Hospital Municipal de Viana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Angola. Decreto-Lei nº 16-A/95, de 15 de Dezembro - Normas do Procedimento e da Actividade Administrativa.

Angola. Lei n.º 23/92, de 16 de Setembro (Lei de Revisão Constitucional).

Angola. Lei n.º 7/81, de 4 de Setembro, Diário da República I Série, n.º 2019, sobre Administração Pública.

Angola. Pauta Deontológica do Serviço Público. Resolução 27/94, de 26 de Agosto de 1994.

Angola. Constituição da República (2010). Luanda. Imprensa Nacional - E.P 1ª edição.

Angola. Instituto de Formação da Administração Local – IFAL (2012). Colectânea de Legislação Fundamental: Súmula temática de legislação Complementar. Luanda. 2ª ed revista e actualizada.

Cretella, J.J. (1999). Controle jurisdicional do acto administrativo. Rio de Janeiro: Forense.

Grau, E. R. (2006). A Ordem económica na constituição de 1988. São Paulo. 11.ed.

Massuanganhe, I. J. (2014). Administração e Gestão Pública: Administração Estratégica e Liderança Visionária. Luanda. Colecção Fundação Académica e Universitária. Imprensa Nacional.

Massuanganhe, I. J. e Teixeira, C. dos S. (2013). Os Desafios da Administração Pública em Angola. Universidade Agostinho Neto, Faculdade de Direito. Centro de Pesquisa em Políticas Públicas e Governação Local. Revista n.º 1- Setembro.

Minayo, M. C. de Sousa (2012). Pesquisa Social: Teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ. Vozes, 32. Ed.

Oliveira, Maria Marly de. (2013). Como fazer pesquisa qualitativa. Petrópolis, RJ. Vozes, 5. Ed.

Rocha, J. A. O. (2010). Gestão do Processo Político e Politicas Públicas. Lisboa. Escolar Editora. 3ª ed.

União Africana (2011). Carta Africana sobre os valores e Princípios dos serviços e da Administração Pública. Addis Abeba, Etiópia. XVI Sessão Ordinária da Cimeira dos Chefes de Estado e de Governo.

Vaz, J. C. (2006). Atendimento ao Cidadão nos estados brasileiros: tendências e desafios, Avanços e Perspectivas da Gestão Pública nos Estados. S. Paulo. CONSAD e FUNDAP.
Publicado
2019-10-27
Como Citar
Muondo, D. L. (2019). SERVIÇO PÚBLICO E A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AOS CIDADÃOS NAS INSTITUIÇÕES ANGOLANAS. RAC: Revista Angolana De Ciências, 1(2), 223 - 242. Obtido de http://publicacoes.scientia.co.ao/ojs2/index.php/rac/article/view/24
Secção
Artigos