Estratégias de aprendizagem utilizadas nos cursos de formação de professores: Um estudo com estudantes do Instituto Superior de Ciências de Educação do Huambo

Palavras-chave: Estratégias de aprendizagem, Ensino Superior, Formação de professores

Resumo

No contexto actual, dada a quantidade de informação que se gera em cada momento e a facilidade de acesso da mesma, espera-se que os estudantes disponham de uma variedade de estratégias de apren­dizagem para a melhor condução da sua aprendizagem. O presente estudo teve como objectivo averiguar as estratégias de aprendizagem utilizadas por estudantes que frequentavam os cursos de Ensino de Biologia e Ensino de Geografia no ano lectivo 2018, no Instituto Superior de Ciências de Educação do Huambo (ISCED-Huambo). Participaram 60 estudantes do 4º ano, inscritos para o estágio pedagógico. Os dados foram recolhidos por meio de uma Escala de Estratégia de Aprendizagem do tipo Likert composta por 48 itens. A coleta de dados foi realizada presencialmente. Para a análise dos dados, foram calculadas as frequências apresentadas pelos participantes em relação ao uso das estratégias de aprendizagem cognitivas, metacognitivas e ausência de estratégia. Verificou-se que os estudantes possuem um conhecimento superficial sobre as estratégias de aprendizagem e uma série de estratégias cognitivas e metacognitivas não têm sido utilizadas com frequência e regularidade. Espera-se que os resultados deste estudo contribuam com reflexões não apenas dos estudantes, mas também do corpo docente, visando fortalecer a qualidade de formação que é ministrada a nível dos cursos de formação de professores e encontrar metodologias que permitem aos estudante conhecerem as várias estratégias de aprendizagem, saber quando e como utilizá-las.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Alliprandini, P. M. Z., Méllo, D. E., & Sekitani, J. T. (2014). Estratégias de aprendizagem utilizadas por estudantes na educação a distância: Implicações educacionais. Psic. da Ed., 38 (1) 5-16

Amaral, V. L. do. (2007). Estratégias e estilos de aprendizagem: a aprendizagem do adulto. Disponível em: http://www.ead.uepb.edu.br/arquivos/cursos/Geografia_PAR_UAB/Fasciculos%20-%20Material/Psicologia_Educacao/Psi_Ed_A09_J_GR_20112007.pdf.

Beluce, A. C., & Oliveira, K. L. de. (2017). Ambientes virtuais de aprendizagem: Das estratégias de ensino às estratégias de aprendizagem. Em IX ANPED Sul - Seminário de pesquisa em educação da Região Sul. (pp.1-15). Brasil. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/andrea-beluce/publication/322065767_ambientes_virtuais_de_aprendizagem_das_estrategias_de_ensino_as_estrategias_de_aprendizagem/links/5a4238bbaca272d29457639f/ambientes-virtuais-de-aprendizagem-das-estrategias-de-ensino-as-estrategias-de-aprendizagem.pdf >

Bortoletto, D. (2011). Estratégias de aprendizagem e de regulação emocional de estudantes dos cursos de formação de professores. (Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual de Campinas). Disponível em <http://repositorio.unicamp.br/jspui/bitstream/reposip/251155/1/bortoletto_denise_m.pdf>

Boruchovitch, E. (1999). Estratégias de aprendizagem e desempenho escolar: considerações para a prática educacional. Psicol. Reflex. Crit. 12 (2) 1–15. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-79721999000200008

Boruchovitch, E., Góes, N. M., Acee, T. W., & Felicori, C. M. (2020). Brazilian students’ learning and study strategies in teacher education programs. Educação: Teoria E Prática, 30(63), 1-18. https://doi.org/10.18675/1981-8106.v30.n.63.s14683

Boruchovitch, E., & Santos, A. A. A. (2004). Escala de avaliação de estratégias de aprendizagem para crianças do ensino fundamental. Manuscrito Não Publicado.

Bzuneck, J. A. (2004). Aprendizagem por processamento da informação: Uma visão construtivista. Petrópolis: Vozes.

Bzuneck, J. A. (2010). Como motivar os alunos: sugestões práticas. Petrópolis: Vozes.

Castillo, M. A. R. Del, & Palacios, A. R. (2011). La estrategia como resultado científico de la investigación educativa. In L. S. Peláez (Ed.), Resultados científicos en la investigación educativa (I Edição). Habana, Cuba.

Castro, J. X., Miranda, G., & Leal, E. (2016). ESTRATÉGIAS DE APRENDIZAGEM DOS ESTUDANTES MOTIVADOS. Advances in Scientific and Applied Accounting, 9(1), 080–097

Costa, E. R., & Boruchovitch, E. (2010). As Estratégias de Aprendizagem de Alunos Repetentes do Ensino Fundamental. Psicologia em Pesquisa, 4(1), 31-39.

Cunha, N. de B., & Boruchovitch, E. (2012). Estratégias de aprendizagem e motivação para aprender na formação de professores. Interamerican Journal of Psychology. 46(2), 247-254.

Góes, N. M., & Alliprandini, P. M. Z. (2019). Análise das práticas pedagógicas de tutores para o incentivo do uso de estratégias de aprendizagem. Praxis educativa. 14(3). 955-973 https://doi.org/https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.14n3.008

Goya, D., Rodriguez, C., Araújo, C. A., & Venero, M. L. F. (2017). O uso de estratégias de aprendizagem cognitivas e metacognitivas na disciplina semipresencial de Processamento da Informação. VI Congresso Brasileiro de Informática na Educação (CBIE 2017), (pp.1079–1088). São Paulo, Brasil. https://doi.org/10.5753/cbie.wcbie.2017.1079

Lemos, L. S., Costa, E. R., & Barbosa, N. C. (2021). Conhecendo as estratégias de aprendizagem de universitários dos cursos de História e Psicologia. Disponível: http://www.sbpcnet.org.br/livro/63ra/conpeex/pibic/trabalhos/LUCAS_SC.PDF

Maldonado, S. I. M. (2007). Estrategias docentes y estrategias de aprendizagem utilizadas en el desarrollo de la compresión lectora en el tercer ciclo del CEB CEB Ricardo Soriano, de Choluteca. (Dissertação de Mestrado, Universidad Pedagógica Nacional Francisco Morazán). Disponível em http://www.cervantesvirtual.com/obra/estrategias-docentes-y-estrategias-de-aprendizaje-utilizadas-en-el-desarrollo-de-la-comprension-lectora-en-el-tercer-ciclo-del-ceb-ricardo-soriano-de-choluteca/.

Marini, J. A. da S., & Boruchovitch, E. (2014). Estratégias de Aprendizagem de alunos brasileiros do Ensino Superior: Considerações sobre adaptação, sucesso acadêmico e aprendizagem autorregulada. Revista Eletrónica de Psicologia, Educação e Saúde, 4(1)25. 102-126.

Martins, R. F. R. C. (1983). Acerca do conceito de estratégia. Disponível em < https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/2815/1/NeD29_RaulFrancoisMartins.pdf >Acesso: 13 de Novembro de 2017

Martins, R. M. M. (2016). Estratégias de aprendizagem em universitários: avaliação e intervenção. (Tese de doutoramento, Universidade São Francisco, https://www.usf.edu.br/galeria/getImage/427/17279032934113009.pdf.

Moreira, A. E. D. C. (2014). Relações entre as estratégias de ensino do professor, com as estratégias de aprendizagem e a motivação para aprender de alunos do ensino fundamental. (Dissertação de Mestrado, Centro de Educação, Comunicação e Artes).

Muneiro, M. de L. (2008). Estratégias de aprendizagem de alunos do ensino superior. (Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual de Campinas). http://repositorio.unicamp.br/jspui/bitstream/reposip/252004/1/muneiro_mariadelourdes_m.pdf

Nérici, I. G. (1993). Didáctica do Ensino Superior. São Paulo: IBRASA

Nicolau, I. (2001). O conceito de estratégia.. Lisboa: Instituto para o Desenvolvimento da Gestão Empresarial.

Oliveira, K. L. de, Boruchovitch, E., & Santos, A. A. A. dos. (2009). Estratégias de Aprendizagem e desempenho académico: Evidências de validade. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 25(4) 531-536.

Oliveira, katya luciane, Boruchovitch, E., & Santos, A. A. A. (2011). Estratégias de aprendizagem no ensino fundamental: análise por gênero, série escolar e idade. Psico, 42(1).

Perassinoto, M. G. M., Boruchovitch, E., & Bzuneck, J. A. (2013). Estratégias de aprendizagem e motivação para aprender de alunos do Ensino Fundamental. Avaliação Psicológica, 12(3), 351-359

Prates, K. C. R., Lima, R. F. de, & Ciasca, S. M. (2016). Estratégias de aprendizagem e sua relação com o desempenho escolar em crianças do do Ensino Fundamental I, Rev. psicopedag. 33(100), 19–27.

Ramírez, N. de A., & Lima, A. V. (2011). Resultados científicos en la investigación educativa. Havana: Editorial Pueblo y Educación.

Roux, R., & González, E. E. A. (2015). Estrategias de aprendizaje y su relación com el rendimiento académico en estudiantes de una escuela privada de educación media superior. Actualidades Investigativas en Educación. 15(1). 1-16. dx.doi.org/10.15517/aie.v15i1.17731

Santos, O. J. X. dos, & Boruchovitch, E. (2011). Estratégias de Aprendizagem e aprender a aprender: Concepções e conhecimento de professores. Psicologia: Ciência e Profissão. Psicol. cienc. prof. 31 (2) 284-295. https://doi.org/10.1590/S1414-98932011000200007

Silva, M. D. P. da, & Ferreira, E. E. B. (2013). Estratégias de aprendizagem na formação de professores: Um levantamento dos estudos realizados de 2000 a 2012. II Jornada de Didática e I Seminário de pesquisa do CEMAD. 363–377. Londrina, Brasil

Souza, L. F. N. I. de. (2010). Estratégias de aprendizagem e factores motivacionais relacionados. Educar, 36. 95-107.

Zhang, L. J., Thomas, N., & Qin, T. L. (2019). Language learning strategy research in System : Looking back and looking forward. System, 84, 87–92. https://doi.org/10.1016/j.system.2019.06.002

Publicado
2021-12-11
Como Citar
Capitango, P. (2021). Estratégias de aprendizagem utilizadas nos cursos de formação de professores: Um estudo com estudantes do Instituto Superior de Ciências de Educação do Huambo. RAC: Revista Angolana De Ciências, 3(2), 411-429. https://doi.org/10.54580/R0302.08
Secção
Artigos