A TURBULÊNCIA NA VOCAÇÃO SUCESSÓRIA NA COMUNA DA CHIPIPA À LUZ DO ARTIGO 2133.º DO CÓDIGO CIVIL ANGOLANO

Palavras-chave: Direito, Sucessório, Vocação, Costume

Resumo

Tem-se verificado por quase em todo território nacional turbulências na sucessão, principalmente no momento da vocação sucessória. Geralmente os parentes do de cujus tendem a apropriar-se dos bens por ele deixado, os sucessíveis prioritários ficam sem nada, alegando como fundamento o costume. O presente trabalho tem como objectivo principal: Minimizar os feitos da turbulência na vocação sucessória na Comuna da Chipipa à luz do artigo 2133.º do Código Civil angolano. Neste trabalho procurou-se determinar o estado actual, no qual constatou-se que comportamentos como estes são visíveis principalmente quando o cônjuge sobrevivo não tiver filhos com o de cujus. Constatou-se limitações no direito de testar. Verificado o estado actual, propôs-se medidas para minimizar a turbulência no momento da vocação sucessória, como palestras sobre o fenómeno sucessório. O trabalho está dividido por: Introdução onde espelhou-se as razões da escolha do tema; Fundamentação Teórica, nesta parte do trabalho procurou-se falar do Direito Sucessório no geral, com destaque nos momentos do fenómeno sucessório (vocação sucessória); Fundamentação Metodológica, o capítulo no qual mostrou-se os métodos usados bem como a razão da sua aplicação; Colecta e análise dos dados, capítulo onde fez-se a caracterização geográfica, mostrou-se as percentagens dos resultados do questionário e súmulas; Conclusão, nesta parte, procurou-se dar resposta naquilo que foi o objectivo; Recomendações do trabalho, propôs-se algumas atitudes que devem ser seguidas; Bibliografia, espelhamos os manuais e sites que foram consultados para a elaboração deste trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADÃO, C. (2010). Direito Costumeiro e poder Tradicional dos povos de Angola. Luanda: Mayamba.

ALTUNA, R. R. (2006). Cultura Tradicional Bantu. Luanda: Paulina.

ASCENSÃO, J. d. (2000). Direito Civil Sucessões (5.ª ed.). Coimbra: Coimbra.

CAMPOS, D. L. (1997). Lições de Direito da Família e das Sucessões (2.ª ed.). Lisboa: Almedina.

CAMPOS, D. L., & CAMPOS, M. M. (2016). Lições de Direito de Família. Coimbra: Almedina.

CANTANI, A. H. (2009). Elaboração de projectos de pesquisa. São Paulo: 2009.

CHITECULO, M. (05 de Outubro de 2018). Caracterização geográfica. (F. Vimanda, Entrevistador)

COELHO, F. P., & OLIVEIRA, G. d. (2008). Curso de Direito da Família (4.ª ed., Vol. I). Coimbra: Coimbra.

CORTE_REAL, C. P. (2012). Curso de Direito das Sucessões. Lisboa: Quid Juris.

CRUZ, B. M. (1986). Reflexões Críticas Sobre a Indignidade e a Deserdação. Coimbra: Almedina.

DEMO, P. (2009). Metodologia Científica em Ciências Sociais. São Paulo: Atlas.

DEMO, P. (2011). Metodologia Ciêntífica: Uma Para a Realização de Pesquisa em Administração. Catalão: Universidade Federal de Goiás.

ERBET, E. (10 de Janeiro de 2002). JUSBRASAIL. Obtido em 25 de Agosto de 2018, de www.jusbrasil.com.br

FERNANDES, L. C. (1999). Lições de Direito das Sucessões. Lisboa: Quid Juris.

FERNANDES, O. d. (2017). Direito das Obrigações. Luanda: Escolar.

FORQUIM, F. M. (2018). A pemanencia do Lobolo e Organização Social no Sul de Moçambique. Canteira, 5-15.

GOMIDES, J. E. (2002). A definição do Problema de Pesquisa a Chave Para o Sucesso do Projecto de Pesquisa. São Paulo: Altas.

HAAS, A. (19 de Setembro de 2018). Google. Obtido de Passei Direito: www.passeidireito.com

JUSTO, A. S. (2012). Direitos Reais (4ª ed.). Coimbra: Coimbra.

JUSTO, A. S. (2012). Introdução ao Estudo do Direito (6ª ed.). Coimbra: Coimbra.

LOBO, M. L. (24 de Novembro de 2013). Direitos da Sucessões- Apontamentos sobre a Sucessão em Geral. Obtido em 03 de Setem de 2018, de https://pt.scribd.com/doc/

MARCONI, M. d. (2003). Fundamentos da Metodologia Científica. São Paulo: Atlas, SA.

MARCONI, M. d., & LAKATOS, E. M. (2003). Fundamentos da Metodologia Científica. São Paulo: 2003.

MEDINA, M. d. (2011). Direito de Família. Lobito: Escolar.

MOTA, H. (2016). O Código da Família angolano e o Livro IV do Código Civil português de 1966. Adaptação e Inovação. Pombalina, 236-269.

OLIVEIRA, F. (2012). Glossário de Latim para Juristas. Lobito: Escolar editora.

OLIVEIRA, M. F. (2011). Metodologoa Científica: Uma Manual para a realização de pesquisa em Administração. Goiás: Catalão.

PRODANOV, C. C. (2013). Metodologia do Trabalho Científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Académico. Rio Grande do Sul: Feevale.

SANTOS, E. d. (2012). Direito das Sucessões (2.ª ed.). Lisboa: Associação Académica da Faculdade de Direito de Lisboa.

SILVA, K. V. (2015). Pressuposto principais dos modelos qualitativos. São Paulo: Texto.

SILVA, M. A. (1999). Direito das Sucessões. Luanda: Lito Tipo.

SOUSA, R. C. (2000). Lições de Direito das Sucessões (4.ª ed., Vol. I). Coimbra: Coimbra.

SOUSA, R. C. (2012). Lições de Direito das Sucessões (4.ª ed.). Coimbra: Coimbra.

SOUSA, R. C. (s.d.). Lições de Direito das Sucessões (3.ª ed., Vol. II). Coimbra: Coimbra.

TADEU, W. (2014). Direito Sucessório E Legislação Conexa Angola. Lobito: Escolar.

TELLES, I. G. (1943). Direito de Representação Substituição Vulgar e Direito de Acrescer. Lisboa: Almedina.

TELLES, I. G. (1996). Sucessão Legítima e Sucessão Legitimária. Coimbra: Coimbra.

TELLES, I. G. (1998). Sucessão Testamentária. Lisboa: Almedina.
Publicado
2019-06-06
Como Citar
Bartolomeu, F. V. (2019). A TURBULÊNCIA NA VOCAÇÃO SUCESSÓRIA NA COMUNA DA CHIPIPA À LUZ DO ARTIGO 2133.º DO CÓDIGO CIVIL ANGOLANO. RAC: Revista Angolana De Ciências, 1(1), 171-196. Obtido de http://publicacoes.scientia.co.ao/ojs2/index.php/rac/article/view/18
Secção
Artigos