Sistema de Saúde em Angola: contextualização, princípios e desafios

Palavras-chave: Sistema Nacional de Saúde, Princípios, Desafios, Angola

Resumo

O artigo tem como objetivo apresentar o Sistema Nacional de Saúde em Angola, contextualizando os períodos que marcaram a história do país e da política de saúde, e refletir os princípios assegurados e os desafios contemporâneos. A saúde está assegurada como um direito universal e integral, mas enfrenta problemas estruturais próprios do sistema capitalisma para a sua garantia e acesso. O tema é atual e relevante e exige um debate para a garantia da saúde como um bem público, o que motivou a realização de pesquisas qualitativas, a partir de revisão bibliográfica e documental, numa perspectiva dialética e crítica para análise dessa realidade complexa e contraditória. Os resultados e discussões mostram que os desafios são expressivos e determinados pelas desigualdades das condições de vida e de trabalho em sua totalidade. Há um grande esforço nacional para a melhoria do Sistema de Saúde, com possibilidades construídas a partir das próprias contradições dessa realidade, em movimento e transformação.        

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia Autor

Fernanda de Oliveira Sarreta, UNESP Universidade Estadual Paulista

Doutorado (2009) em Serviço Social pela Universidade EstadualPaulista - UNESP, Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - FCHS, Câmpus de Franca-SP. Professora (2012) daGraduação Assistente Social. Doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da Universidade Estadual Paulista, FAculdade de Ciências Humanas e Sociais - UNESP, Brasil. Líder do Grupo QUAVISSS -Grupo de de Estudos e Pesquisas sobre Política de Saúde e Serviço Social. Coordenadora (2017-2019) doPrograma de Pós-Graduação em Serviço Social FCHS UNESP. Editora convidada da Revista Ciências e PolíticasPúblicas, Public Sciences & Policies, da Universidade de Lisboa, Portugal (2017-2019). Articuladora de EducaçãoPermanente em Saúde do Centro de Desenvolvimento e Qualificação para o SUS - DRS VIII de Franca/SP (2012-Atual). Membro da CIES - Comissão Permanente de Integração Ensino-Serviço da Macro Nordeste Paulista (2012-Atual). Representante da Comissão Regional COAPES - Contrato Organizativo de Ação Pública Ensino-Saúde (2016). Assistente social da Secretaria Municipal de Saúde de Franca (1990-2012). Experiência em ServiçoSocial, atuando no ensino-pesquisa-extensão nos seguintes temas: Serviço Social, formação profissional, políticade saúde, SUS, trabalho da/o assistente social na saúde, educação permanente em saúde, formação e trabalho em saúde.

Referências

Angola (2010). Constituição da República Angolana. Angola: Luanda. Disponível em: https://governo.gov.ao/ao/angola/a-constituicao/. Acesso: jan 2019.

Angola (1992). Lei de Base do Sistema Nacional de Saúde de n. 21 de 28 de agosto de 1992. Angola. Luanda, Disponível em: http://extwprlegs1.fao.org/docs/pdf/ang11736.pdf.

Bisco, G. C. B., & Sarreta, F. de O. (2019). A construção do direito à saúde e do SUS no cenário neoliberal e a contribuição do Serviço Social. Textos & Contextos (Porto Alegre), 18(1), 78-90. https://doi.org/10.15448/1677-9509.2019.1.31738

Boschetti, I (2017). Impactos da crise contemporânea na seguridade social. (Ed). Seminário Nacional de Serviço Social na Saúde. CFESS, Conselho Federal de Serviço Social: Brasília. Disponível em: http://www.cfess.org.br/visualizar/noticia/cod/242.

Caneca, AMJ (2021). Avaliação da satisfação dos utentes nos serviços de saúde da Clínica da Marinha de Guerra Angolana em Luanda (Dissertação de Mestrado, UNESP). Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/204605.

Chaximbe, OCM (2021). Serviço Social e a humanização da atenção à saúde no Hospital Pediátrico David Bernardino de Luanda, Angola. (Dissertação de Mestrado, UNESP). Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/204605.

Guerra, Y. (2009). A dimensão investigativa no exercício profissional. In: Serviço Social: direitos sociais e competências profissionais. Brasília: Cfess/Apepss (p. 71-90. Disponível em: http://cressrn.org.br/files/arquivos/C8pQHQOyl68c9Bc41x5Y.pdf.

Instituto Nacional de Estatística (INE). (2016). Censo da População e Habitação. Angola, Luanda. Disponível em: http://www.ine.gov.mz/operacoes-estatisticas/censos/censo-2014.

Queza, A. J (2010). Sistema de Saúde em Angola: uma proposta à luz da reforma do Serviço Nacional de Saúde em Portugal. (Dissertação de Mestrado, Universidade do Porto). Portugal.

Minayo, M. C. S. (2004). Saúde e doença como expressão cultural: concepções e políticas públicas. In: Filho,A. (Org.). Saúde, trabalho e formação profissional (p. 14-21). Rio de Janeiro: Fiocruz.

Minayo, MCS (2012). (org.) Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes.

Minsa (2019). Ministério da Saúde de Angola. Programa Nacional de Municipalização da Saúde. Angola, Luanda, 2019. Disponível em: https://governo.gov.ao/ao/governo/ministros/.

Monteiro, A.A. (2016). Natureza do Serviço Social em Angola. São Paulo: Cortez.

Netto, J.P. (2020). Marxismo e serviço social. Programa da Universidade Federal de Santa Catarina, 29 set. 2020. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=6bTmTzznD-Q.

OMS (2015). Organização Mundial da Saúde. Ministério da Saúde de Angola. Relatório sobre Estratégias de Cooperação 2015-2019. Angola. OMS, 2015. https://www.afro.who.int/sites/default/files/2017-06/ccs-angola-2015-2019-p.pdf.

Pessoa, F. (1993). O guardador de rebanhos. Poemas de Alberto Caeiro. 10.ed. Lisboa: Ática.

Sarreta, F. de O. (2020). O cenário de pandemia da Covid-19 e o protagonismo de trabalhadores de saúde. REFACS. 8 (Supl.3). 972-974. http://dx.doi.org/10.18554/refacs.v8i0.5065

Publicado
2021-12-11
Como Citar
Caneca, A. M. J., Chaximbe, O. C. M., & Sarreta, F. de O. (2021). Sistema de Saúde em Angola: contextualização, princípios e desafios . RAC: Revista Angolana De Ciências, 3(2), 350-370. https://doi.org/10.54580/R0302.05
Secção
Artigos