Percepção dos professores de Física do I ciclo do ensino secundário sobre o uso das TIC no processo de ensino – aprendizagem

Palavras-chave: Ensino da Física, TIC, Processo de ensino-aprendizagem

Resumo

Esta investigação teve como objectivo descrever a percepção dos professores de Física do I Ciclo do Ensino Secundário da Província do Huambo sobre o uso das TIC no processo de ensino-aprendizagem da Física. Através de metodologia mista (quantitativa-qualitativa) com uma pesquisa exploratória de corte descritivo, a concretização dos objetivos propostos foram alcançados. Feito na Província do Huambo, o estudo foi realizado com 26 professores de Física dos vários municípios da Província. Assim sendo, foram realizadas técnicas de recolha de dados tais como, inquérito por questionário, observação e entrevista. Utilizaram-se diferentes métodos combinados qualitativos e quantitativos para conseguir obter uma imagem mais próxima da realidade que se investigava. Os resultados mostram que os professores têm uma percepção razoável quanto ao uso das tecnologias. Porém, nem tudo depende da disposição, pois, os professores identificam alguns factores que impedem o uso das TIC no I ciclo tais como a falta de preparação e incentivos por parte de algumas escolas, bem como a falta de mobilização dos recursos tecnológicos. Entre os aspectos que mais motivavam os professores para o uso das TIC, foram identificados a mediação que estas tecnologias desempenham tanto no ensino bem como na organização do trabalho docente.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Barbante, C. &Oliveira, L (2016). Competências dos professores do Instituto Superior de Ciências da Educação do Huambo no uso das tecnologias de informação e comunicação. Revista Orbita Pedagógica. 3(3) 27-38.

Coutinho, C. (2018). Metodologia de Investigação em Ciências sociais e Humanas: Teoria e Prática. 2ª ed., Coimbra: Edições Almedina

Crowley, D. & Mitchell, D. (2014). Communication Theory Today. 4th ed. Standford: Standford University Press.

Decreto Lei no 17/16 de 7 de Outubro do Ministério da Educação.Diário da Repúlblica: I série No 170(2016) acessado aos 7 de Dezembro de 2020.Dispoível em http://cdn.sepe.gov.ao./sepe/documentos/LBTIC19-22pdf

Felinto, E. (2011). Da Teoria da Comunicação às teorias da mídia. Porto Alegre: UFRGS.

Gil, A. (2009). Métodos e técnicas de pesquisa social. 5ª ed. São Paulo: Atlas.

Gonçalves, A. R. C. (2012). O Papel das TIC na Escola, na Aprendizagem e na Educação. (Dissertação, Instituto Universitário de Lisboa).

Julião, A. L. (2020). Professores, tecnologias educativas e COVID-19: realidades e desafios em Angola. RAC: Revista Angolana de Ciências. 2(2) e020205.

Marconi, A. & Lakatos, M. (2006). Metodologia Científica 4ª ed. São Paulo: Atlas

Marqués, P. (2014). Las TIC y sus aportaciones a la sociedad. Madrid: Alianza.

Martins, G. (2006). Estudo de caso: uma estratégia de pesquisa. São Paulo: Atlas.

Martins, Z. (2009). As TIC no ensino-aprendizagem da matemática. Actas do X Congresso Internacional Galego-Português de Psicopedagogia. Braga: Portugal.

Mendes, C. & Manuel, T. (2016). Investigação em Educação (Opções Metodológica para a pesquisa Científica) 1ª ed. Benguela: KAT

Ponte, J. P. (2002). As TIC no início da escolaridade: Perspectivas para a formação inicial de professores. In Ponte, J. P. (Org.), A formação para a integração das TIC na educação pré-escolar e no 1.º ciclo do ensino básico. Porto Editora. Portugal

Richardson, R. (2009). Pesquisa Social: Métodos e técnicas. São Paulo. Editora Atlas.

Robalo, A. (2016). Proposta de estrategia metodologica para a promoção de Curtura Digital de Professores do 1º e 2º Ciclo do Ensino Secundario: O caso do estudo da Mediateca do Huambo, como agente na Promoção da cultura Digital. (Tese, Universidade Fernando Pessoa). Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/61021331.

Salomon, G. (1991). Transcending the Qualitative-Quantitative Debate: The Analytic and Systemic Approaches to Educational Research. Educational Researcher. 20(6) 10-18. https://doi.org/10.3102/0013189X020006010

Schuhmacher, T. et al. (2010). Experiências Virtuais Aplicadas em Aulas de Teoria de Física. 4ª ed. Rio de Janeiro: McGraw-Hill.

Schuhmacher, V. (2014). Limitações da prática docente no uso das tecnologias da informação e comunicação. Rio de Janeiro: McGraw-Hill.

Silva, E., & Menezes, E. (2005). Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 4ª ed. Porto Alegre: Bookman.

Sousa, J. B. M. & Kwexila, J. L. (2015). Tecnologia emergentes: proposta de acções para a sua implementação no processo docente educativo. Revista Órbita Pedagógica.2 (3),09-16

Sousa, J. B. M. (2016). Computadores no ensino 1ra edição. Saarburcken: Novas Edições Academicas

Sousa, J. B. M. (2021). Uma estratégia para Promover o trabalho Científico, tecnológico e inovador no Gabinete Provincial da Educação do Huambo. Telos Revista de Estudios interdisciplinários en ciencias Sociais 22(3), 9-26. DOI: www.doi.org/10.36390/telos231.02

Spinola, M., & Pessôa, M. (2007). Tecnologia da Informação. São Paulo: Editora Edgard Blücher.

Thomazini, P. (2006).Tecnologias digitais em Educação. Rio de Janeiro: McGraw-Hill.

UNESCO. (2008). Padrões de competência em TIC para professores. Paris, França: UNESCO.

Veraszto, E. (2014). Educação Tecnológica no Ensino Fundamental. Curitiba: CEFET-PR.

Vergara, S. (2007). Projectos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas.

Veraszto, V. E. et al. (2009). Tecnologia: buscando uma definição para o conceito. Prisma.com. 8. 19-46
Publicado
2021-05-28
Como Citar
Sebastião, A. B. B. G. (2021). Percepção dos professores de Física do I ciclo do ensino secundário sobre o uso das TIC no processo de ensino – aprendizagem. RAC: Revista Angolana De Ciências, 3(1), 75-97. https://doi.org/10.54580/R0301.05
Secção
Artigos