Coliformes totais e fecais em águas da rede pública da comuna do Forte Santa Rita

Palavras-chave: Análise microbiológica, Água, Saneamento

Resumo

O presente estudo faz uma abordagem sobre a presença de coliformes totais e fecais na água consumida pela população da Comuna do Forte Santa Rita, Município de Moçâmedes em Angola, para permitir comparar o seu estado actual com os valores padrão estabelecidos pela OMS, e permitir que se tomem as medidas adequadas para que ela se apresente com a qualidade requerida. O objectivo do estudo foi de avaliar a qualidade microbiológica da água consumida pela população da Comuna do Forte Santa Rita, de modo a facilitar futuras actuações correctivas e preventivas. Avaliou-se a qualidade microbiológica da água consumida em 5 pontos da Comuna do Forte Santa Rita, as quais foram analisadas no laboratório provincial de controlo de qualidade de água da Huíla. O estudo teve um enfoque quantitativo e qualitativo, no qual utilizou-se a técnica da membrana filtrante. Como resultado, ao analisar as 5 amostras de água no mês de Outubro de 2019, constactou-se a presença de colónias de coliformes totais e fecais em 2 amostras, correspondente a 40% das amostras de água analisadas, enquanto que, em Dezembro, as amostras recolhidas reportaram ausência de colónias de coliformes totais e fecais em 100% das amostras analisadas, o que demonstra uma melhoria na qualidade da água para o consumo humano. Concluiu-se que, mesmo que as amostras de água de Dezembro reportaram ausência de coliformes totais e fecais, não se pode descartar a necessidade de uma vigilância continua por meio de testes, comprovando a sua qualidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

American Public Health Association. (2005). Eaton Andrew D. American Water works Association Water enviroment Federation – Standard methods for the Examination of Water and wasterwater. Washington, D. C: APHA – Awww – WE.

Alves, S. G. S., Carla, D. G. A., & Joaquim, X. S. (2018). Análise microbiológica de coliformes totais e termotolerantes em água de bebedouro de um parque público de Brasília. Revista Cientifica Sena Aires, 7(1), 12-17.

Carvalho, D. R., Fortunato, J. N., & Badaró, A. F. (2009). Avaliação da qualidade física-química e microbiológica da água de um campus universitário de Ipatinga- MG. Revista digital de Nutrição, 3(5), 417-427.

Costa Neto, P. L. O. (1977). Estatística. São Paulo: Edgard Blucher

Decreto presidencial nº 261, de 6 de Outubro de 2011. Regulamento sobre a qualidade da água. I série nº 193.

Fundação Nacional de Saúde. (2013). Manual prático de análise de água. 4ª Edição. Brasília. P. 13-39. http://www.funasa.gov.br.

Jacinto, M. M. P. L. (2012). A problemática da água em Angola (1975-2010): caso de estudo – Luanda. (Dissertação de Mestrado em Gestão do Território, Especialidade em Ambiente e Recursos Naturais). Disponível em: https://run.unl.pt/handle/10362/9220.

Moreno, C., Amílcar, R., Hernádez, R., & Maria, E. (2004). Evaluación microbiológica de la calidad del agua potable que distribuye ANDA en los sectores de San Bartolo, Santa Lucia y San Martín. (Trabalho de graduação). http://ri.ues.edu.sv/5537/.

Nogueira, F. F., & Pereira, I. A. (2015). Análise de parâmetros físico-químicos da água e do uso e ocupação do solo na sub-bacia do Córrego da Água Branca no Município de Nerópolis–Goiás. (Trabalho de Bacharel em Engenharia Ambiental e Sanitária).

Oliveira, K. D., Almeida, K. L., & Barbosa, T. L. (2012). Amostragens probabilística e não probabilística: técnicas e aplicações na determinação de amostras. (Dissertação de mestrado em ciências florestais).

Pezente, Á. W. (2009). Análise microbiológica, física e química da água dos bebedouros e torneiras consumida na E.E.B timbé do sul, localizada no centro do Município de Timbé do Sul - SC. (Graduação em Farmácia).

Prodanov, C. C., Freitas, E. C. (2013). Metodologia do trabalho científico: Métodos e Técnicas de pesquisa e do trabalho académico. 2ª Edição. Universidade Feevale – Novo Hamburgo.

Rocha E., Rosico F., Silva F., Luz T., & Fortuna J. L. (2010). Análise microbiológica da água de cozinhas e/ou cantinas das instituições de ensino do município de Teixeira de Freitas (BA). Revista Baiana de Saúde Pública. 34(3), 694. https://doi.org/10.22278/2318-2660.2010.v34.n3.a66.

Santos, R., & Tainara, M. (2013). Saúde e qualidade da água: Análise Microbiológica e Físico-Químicas em Águas Subterrâneas. Revista contexto & saúde, 13(24-25), 46-53. https://doi.org/10.21527/2176-7114.2013.24-25.46-53.

Yin, R. K. (2001). Estudo de caso. Planeamento e Métodos. 2ª Edição. Universidade de Córdoba. Espanha.

Publicado
2021-05-28
Como Citar
Cachapa, A. F., Jacinto, I. da conceição A., & Camunda, B. M. (2021). Coliformes totais e fecais em águas da rede pública da comuna do Forte Santa Rita. RAC: Revista Angolana De Ciências, 3(1), 170-188. https://doi.org/10.54580/R0301.10
Secção
Artigos