Serviços bancários online: análise e avaliação por parte dos clientes bancários angolanos

Palavras-chave: Banca, Internet Banking, qualidade dos sites, grau de utilização dos canais online, Angola

Resumo

A banca eletrónica constitui um veículo primordial de comunicação com os clientes, promovendo uma maior eficiência e rapidez na realização de um conjunto alargado de operações. No presente estudo foram analisadas 395 respostas de um inquérito realizado a clientes bancários angolanos. Foi efetuada uma análise descritiva dos resultados e posteriormente recorreu-se à Análise de Componentes Principais da Análise Fatorial (ACPAF) de onde se identificaram dois factores responsáveis por 68,352% da variância total explicada na Análise fatorial: a importância da utilização da Internet e do seu acesso e a facilidade de utilização dos meios digitais. O objetivo principal deste artigo é o de contribuir com sugestões que visam incentivar a utilização dos canais remotos, para que o serviço de Internet Banking seja o canal preferencial de comunicação entre bancos e clientes, em detrimento da presença física destes nos balcões. Os resultados evidenciam que os bancos devem apostar numa maior promoção da utilização do Internet Banking, pois existe um mercado recetivo a tal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografias Autor

Luís Miguel Pacheco, Universidade Portucalense - Infante D. Henrique

Doutor em Economia (UTL – Lisboa, Portugal)

Professor Associado na Universidade Portucalense – Porto, Portugal

Departamento de Economia e Gestão

REMIT (Research on Economics, Management and Information Technologies) e

IJP (Instituto Jurídico Portucalense)

Euclides Firmino Capitamolo, Universidade Portucalense – Porto, Portugal

Universidade Agostinho Nerto (UAN) (Angola)

Mestre em Finanças (Universidade Portucalense - Porto, Portugal)

Fernando Oliveira Tavares, Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo – Porto, Portugal

Doutor em Gestão Industrial (Universidade de Aveiro, Portugal)

Professor Adjunto no Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo – Porto, Portugal

Referências

Aboobucker, I. & Bao, Y. (2018). What obstruct customer acceptance of internet banking? Security and privacy, risk, trust and website usability and the role of moderators. The Journal of High Technology Management Research, 29(1), 109-123.

Afshan, S., Sharif, A., Waseem, N. & Frooghi, R. (2018). Internet banking in Pakistan: An extended technology acceptance perspective. IJBIS, 27(3), 383-410.

Al-Somali, S. A., Gholami, R. & Clegg, B. (2009). An investigation into the acceptance of online banking in Saudi Arabia. Technovation, 29(2), 130-141.

Aladwani, A. M. (2001). Online banking: A field study of drivers, development challenges, and expectations. International Journal of Information Management, 21(3), 213-225.

ABANC (2017). Relatório anual. Associação Angolana de Bancos. Disponível em www.abanc.ao. Luanda, Angola.

Correia, P.R.A. (2017). Fatores determinantes da intenção de uso do mobile banking em Portugal. Dissertação de Mestrado em Gestão Comercial, Faculdade de Economia da Universidade do Porto, Portugal.

Deloitte (2018). A banca angolana em análise. Deloitte - Angola, Luanda, Angola.

Dholakia, R. R. & Dholakia, N. (2004). Mobility and markets: emerging outlines of mcommerce. Journal of Business Research, 57(12), 1391-1396.

Edmir, P.V.P. (2010). Sites de internet banking: Uma avaliação da qualidade baseada no modelo webqual. Gestão & Regionalidade, 26 (77), 63-74.

Gbadeyan, R. A. & Akinyosoye, O. O. (2011). Customers’ preference for e–banking services: A case study of selected banks in Sierra Leone. Australian Journal of Business and Management Research, 1(4), 108-116.

George, D. & Mallery, P. (2003). SPSS for Windows step by step: A simple guide and reference 4.ª edição. Boston: Allyn & Bacon.

Laforet, S. & Li, X. (2005). Consumers’ attitudes towards online and mobile banking in China. International Journal of Bank Marketing, 23(5), 362-380.

Lee, M. C. (2009). Factors influencing the adoption of internet banking: An integration of TAM and TPB with perceived risk and perceived benefit. Electronic Commerce Research and Applications, 8(3), 130-141.

Levine, D.M., Berenson, M.L. & Stephan, D. (2000). Estatística: Teoria e aplicações usando Microsoft Excel em Português. Rio de Janeiro, Brasil: LTC.

Marôco, J. (2014). Análise estatística com o PASW Statistics (ex-SPSS). 6ª edição. Lisboa: Report Number.

Martins, C., Oliveira, T. & Popovič, A. (2014). Understanding the Internet banking adoption: A unified theory of acceptance and use of technology and perceived risk application. International Journal of Information Management, 34(1), 1-13.

Moraes, E.A. & Werneck, V.M.B. (2003). Uma abordagem de avaliação de qualidade de aplicações web. Cadernos do IME: Série Informática: 14, 73-78.

Morawczynski, O. (2009). Exploring the usage and impact of "transformational'' mobile financial services: the case of M-PESA in Kenya. Journal of Eastern African Studies, 3(3), 509-525.

Nasri, W. (2011). Factors influencing the adoption of internet banking in Tunisia. International Journal of Business and Management, 6(8), 143-160.

Nielsen, J. (1993). Usability Engineering. Cambridge, MA: Academic Press.

Pavlou, P. A. (2003). Consumer acceptance of electronic commerce: Integrating trust and risk with the technology acceptance model. International Journal of Electronic Commerce, 7(3), 101–134.

Pestana, M., & Gageiro, J. (2014), Análise de dados para ciências sociais: A complementaridade do SPSS. 6ª edição. Lisboa: Edições Sílabo.

Pikkarainen, T., Pikkarainen, K., Karjaluoto, H. & Pahnila, S. (2004). Consumer acceptance of online banking: an extension of the technology acceptance model. Internet Research, 14(3), 224-235.

Pressman, R. S. (2014). Software Engineering: A Practitioner's Approach. 8ª edição. McGraw Hill International.

Putrevu, S. (2001), Exploring the origins and information processing differences between men and women: Implications for advertisers. Academy of Marketing Science Review, 2001(10), 1.

Silva, V.F.D. (2012). O Banco Nacional de Angola e a crise financeira. Luanda: Mayamba Editora.

Xu, B., Shao, B., Lin, Z. & Shi, Y. (2009). Enterprise adoption of internet banking in China. Journal of Global Information Technology Management, 12(3), 7–28.

Publicado
2021-05-28
Como Citar
Pacheco, L. M., Capitamolo, E. F., & Tavares, F. O. (2021). Serviços bancários online: análise e avaliação por parte dos clientes bancários angolanos. RAC: Revista Angolana De Ciências, 3(1), 189-216. Obtido de http://publicacoes.scientia.co.ao/ojs2/index.php/rac/article/view/143
Secção
Artigos