PROPOSTA DE EXERCÍCIOS DA DISCIPLINA DE QUÍMICA ORGÂNICA PARA O FORTALECIMENTO DA APRENDIZAGEM DA NOMENCLATURA DE ÁLCOÓIS NOS ESTUDANTES ISCED-HUAMBO

Palavras-chave: Química orgânica, Alcoois, regras IUPAC, Processo de ensino-aprendizagem

Resumo

Ensinar química orgânica não é uma tarefa fácil, pois não se trata apenas de transmitir informações a respeito de um determinado assunto ou simplesmente passar regras de nomenclatura ou classificação; é necessário que o aluno veja a importância daquilo que esta sendo ensinado, entretanto é necessário ensinar para a vida, pois isso torna o ensino mais dinâmico. O objectivo do presente trabalho é propor um sistema de exercicios de nomenclatura de alcoois de maneiras a contribuir para o melhoramento do processo de ensino – aprendizagem da química orgânica nos estudantes do ISCED-Huambo. Os métodos empregados foram análise documental e o histórico lógico. Os resultados mostram um sistema de exercicios de nomenclatura de alcoois encaminhada ao fortalecimento das habilidades de classificar, nomear e formular, que implicam o conhecimento do estudante das regras de nomenclatura IUPAC. Desenvolvem-se passos metodológicos em exercicios resolvidos e se proponem outro conjunto de exercicios de maneira de contribuir com o fortalecimento da aprendizagem das reglas IUPAC nos alcoois. A proposta é desenvolvida pela extraordinária importância que têm os álcoóis no campo da disciplina de química orgânica e os usos como solventes, medicamentos e combustíveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALCATRÃO, I. (1996). Formação Reflexiva de Professores-estratégias de supervisão . Porto: Porto Editora.

AVANCINI, M. (Outubro de 2009). Raio x para novas praticas. Obtido em 30 de Julho de 2018, de WWW.revista educação.com br.

BERTRAN, N. O., & CISCATO, C. A. (1998). Quimica. 2ed. São Paulo: Cortez.

BERTRAND, Y. (2001). Teorias Contemporanias Da educacao. 2 ed. Lisboa: : Instituto Piaget.

CAMPOS, L. s., & MOURATO, M. (2002). Nomerncatuira dos Compostos Organicos. Lisboa: Escolar Editora.

CURY, A. J. (2003). Pais Brilhantes Professores Fascinantes: A Educação Inteligente; Formando Jovens Educadores e Felises . Rio de Janeiro: Sextante.

DELIZOICOV, D., & ANGOTTI, J. A. (1992). Metodologia do Ensino deCiencias. 2 ed. São Paulo: Cortez.

FREIRE, P. (1996). Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários a Pratica Educativa . São Paulo: Paz e Terra.

GIL, A. C. (1989). Métodos e Técnicas de Pesquisa Social (2 ed.). São Paulo: Atlas S.A.

GIORDAN, M. (1992). Quimica Nova na Escola. O papel da Experimentação no Ensino de Ciencias, 43-49.

GUERRA, M. D. (1995). Reflexões sobre um processo vivido em estágio supervisionado. In Dos limites as possibilidades.

ISCED-HUAMBO. (2017). Regulamento do estagio de licenciatura. Huambo: DPP.

LAKATOS, E. M., & MARCONI, M. d. (2003). Fundamentos de metodologia científica (5ª ed.). São Paulo: ATLAS S.A.

PIMENTA, C. G., & LIMA, M. S. (2004). Estágio e Docência. São Paulo: Cortez.

SIMÕES NETO, J. E. (2009). Química Orgânica. 2 ed. Recife: Edição Propria.

USBERCO, J., & SALVADOR, E. (2002). Química - Volume Único. São paulo: Saraiva.

USBERCO, J., & SALVADOR, E. (2002). Química-Volume Único. São paulo: Saraiva.
Publicado
2019-06-05
Como Citar
Viltres Rodríguez , R. A., Litonga, J. H., & Arza Pascual, L. (2019). PROPOSTA DE EXERCÍCIOS DA DISCIPLINA DE QUÍMICA ORGÂNICA PARA O FORTALECIMENTO DA APRENDIZAGEM DA NOMENCLATURA DE ÁLCOÓIS NOS ESTUDANTES ISCED-HUAMBO. RAC: Revista Angolana De Ciências, 1(1), 95-104. Obtido de http://publicacoes.scientia.co.ao/ojs2/index.php/rac/article/view/13
Secção
Artigos